terça-feira, 28 de junho de 2016

Quais são as suas estratégias para lidar com situações que lhe criam stress?



Perante uma situação stressante, mobilizamos estratégias para reestabelecer o equilíbrio do organismo e este equilíbrio depende das estratégias utilizadas para lidar com essas situações. As estratégias (de confronto) referem-se a padrões de comportamento, cognições e percepções utilizadas para manter o equilíbrio do organismo mediante as exigências internas e/ou externas (Lazarus & Folkman, 1984). De acordo com estes autores, face às exigências do meio, fazemos uma avaliação cognitiva do stress, que acontece em três momentos: avaliação primária, avaliação secundária e reavaliação. Na primeira, identificamos a possível ameaça que a situação cria; se esta for considerada ameaçadora, ocorre a segunda avaliação que consiste na avaliação dos recursos que temos disponíveis para fazer face às exigências postas pelo ambiente. A reavaliação é um novo ciclo de avaliação, resultante das respostas às questões iniciais para o confronto da situação. Se considerarmos que a situação é potencialmente ameaçadora e que não dispomos de recursos, experienciamos algum grau de stress e são activadas as estratégias de coping (confronto). O coping é definido por Lazarus & Folkman (1984) como uma tentativa para lidar com exigências externas (do ambiente) ou internas (do próprio indivíduo) percebidas como sobrecarregando ou excedendo os nossos recursos.

Segundo Folkman e Lazarus (1985), as estratégias de coping podem manifestar-se de duas formas: através do coping centrado no problema, que se refere a fazer algo para alterar a fonte de stress, ou através do coping centrado nas emoções, que se refere aos esforços para reduzirmos ou gerirmos o stress emocional associado à situação. O coping centrado no problema envolve-nos em tentativas activas para enfrentar a fonte de stress e assim reduzir a percepção da ameaça. O coping centrado nas emoções inclui estratégias destinadas a reduzir os níveis de ansiedade e não necessariamente estratégias para mudar a situação.

As estratégias de confronto centradas nas emoções são:
- O distanciamento - são as estratégias cognitivas de desprendimento e afastamento da situação,
- A fuga / O evitamento - referem-se aos esforços comportamentais e cognitivos realizados para fugir e evitar o problema,
- A reavaliação Positiva - que se refere aos esforços realizados para criar significados positivos, focados no crescimento pessoal.

As estratégias de confronto centradas no problema são:
- Coping Confrontativo - são esforços agressivos realizados para alterar a situação,
- Coping de Autocontrolo - são os esforços realizados pela pessoa para regular os seus sentimentos e as suas acções,
- Procura de Suporte Social - inclui os esforços realizados pela pessoa, na procura de suporte emocional e informativo,
- Assumir a Responsabilidade - que se refere aos esforços realizados no sentido de reconhecer o papel desempenhado pelo próprio no problema e a tentativa de recompor as coisas.
- Resolução Planeada do Problema - inclui os esforços realizados, que se focam no problema de forma deliberada e que têm como intenção alterar a situação.
(Pais-Ribeiro & Santos, 2001)

O coping focado no problema tende a prevalecer quando sentimos que podemos fazer algo de construtivo para alterar a situação stressante em si, enquanto o coping focado na emoção tende a predominar quando sentimos que a razão do stress irá persistir e que nada podemos fazer para o modificar. A importância do coping focalizado no problema ou focalizado na emoção pode variar em resposta a diferentes tipos de stress.

Cada um de nós pode tendencialmente adoptar mais uma determinada estratégia do que outra, o que acaba por ser natural. Contudo, será importante termos consciência dessa nossa tendência, porque poderá estar relacionada com alguns receios e inseguranças. Dessa forma, quanto mais nos conhecermos, maior a nossa liberdade de escolha ao abrirmos o leque das diversas estratégias e conseguirmos escolher a melhor que se adapta à situação. 

Por decisão pessoal, a autora do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.

Sem comentários:

Publicar um comentário