quarta-feira, 15 de junho de 2016

Zona de conforto – ficar ou experimentar a sair?

Criar e manter uma rotina é importante, mais para umas pessoas, menos para outras, mas quebrá-la de vez em quando também é essencial.

A zona de conforto é um conjunto de actividades e de comportamentos que fazem parte de uma rotina, um padrão que minimiza o stress e os riscos possíveis. A explicação mais científica para essa expressão é que a zona de conforto é qualquer tipo de comportamento que consegue manter um nível baixo de ansiedade. Assim, a zona de conforto dá-nos uma sensação de segurança. Todos nós, ao estarmos na zona de conforto beneficiamos de um bem-estar regular, baixa ansiedade e redução do stress. Estar na zona de conforto não é algo bom ou mau, é um estado natural onde a maioria das pessoas vivem. Ou seja, a zona de conforto é importante, mas se nos limitarmos a estar aí, pode-nos criar num determinado momento das nossas vidas uma sensação de vazio e insatisfação, seja na vida profissional, como na vida pessoal.
Os exemplos de lavar os dentes, tomar o pequeno-almoço na cozinha, preparar o jantar, lavar a loiça, ir pela mesma rua para o trabalho, almoçar no mesmo restaurante, provavelmente são tarefas que fazemos muitas vezes, e por isso, habituamo-nos a elas, que não nos fazem sentir ansiosos ou inquietos e por isso, estas actividades como exemplo, fazem parte da nossa zona de conforto.
Conseguirmos prever e sentir o controlo sobre as situações, dá-nos segurança e um certo prazer, e, normalmente o nosso cérebro é atraído pelo que nos dá prazer e evita o que possa causar dor. Associamos dor ao facto de sair ou estarmos no limiar da nossa zona de conforto. Quando estamos dentro dessa zona confortável, normalmente não há crescimento pessoal ou profissional e tendemos a resistir às mudanças e a novas perspectivas.

Existem pessoas que não gostam de falar em público, ou que não gostam de falar com pessoas desconhecidas, ou de participar em actividades em que têm que se expor. Normalmente estes acontecimentos geram stress e desconforto. O limite da zona de conforto apresenta uma barreira psicológica que nos impede de encarar desafios e melhorar a nossa qualidade de vida. É como se tivéssemos uma voz a alimentar a nossa insegurança. Exemplos de pensamentos que podemos ter e que nos fazem acreditar que não queremos sair da zona de conforto:
1. “Para quê é que eu vou fazer isso?” - Por vezes deixamos as nossas motivações de lado tentando encontrar uma razão lógica para fazermos as coisas. Mas na verdade, há sempre motivos para fazer algo, nem que seja apenas pelo desafio.
2. “Não é o momento certo” – Nunca nos sentimos totalmente preparados, se estivermos à espera do momento certo, ele nunca chegará. O importante é avançarmos e com esses avanços vamo-nos sentindo mais preparados.
3. “Não é para mim” – Por vezes criamos uma ideia que quem faz uma determinada actividade tem determinadas características e se não se tem, não faz sentido fazer. Por exemplo: “As pessoas que fazem yoga são todas magras.” Se pensarmos bem, isto não é bem verdade.
4. “Eu não sei como se faz” – Esta é uma verdadeira razão para se avançar. Alguma melhor razão para se aprender algo que não se sabe?

Como sair da sua zona de conforto?
Então já sabemos o que é a zona de conforto, já sabemos alguns exemplos de pensamentos que nos podem estar a impedir da sair da zona de conforto, então vamos avaliar a nossa vida. Sinto-me satisfeita? Posso melhorar em algo? Alguma coisa que eu gostaria de fazer ou experimentar?

Não é preciso pensar muito para encontrar novas experiências. Coisas pequenas, como almoçar num restaurante diferente, mudar temporariamente a sua alimentação, ir a pé por uma rua paralela da que costuma ir, ver um filme que normalmente não iria ver, já ajuda a quebrar a rotina e é um bom início.
E algo que é importante referir, é que ao se conseguir sair da zona de conforto não significa que não se volta mais, é essencial termos um “porto seguro” onde podemos reflectir sobre o que aprendemos.
Com certeza que neste momento, muitos perguntam “Mas se eu estou bem na zona de conforto, porque hei-de fazer um esforço para sair?”. Talvez saber os efeitos que sair da zona de conforto tem nos possa ajudar.
Os efeitos de sair da sua zona de conforto:
– satisfação pessoal,
– melhoria na qualidade de vida,
– expansão dos seus limites,
– desenvolvimento das suas habilidades,
– ampliação da sua maneira de ver o mundo,
- desenvolvimento de adaptabilidade e flexibilidade,
- maior facilidade de lidar com imprevistos e problemas inesperados,
- maior capacidade de análise,
- encontrar mais alternativas,
- maior criatividade.

Ao sairmos da nossa zona de conforto, crescemos enquanto pessoa, mas ajuda começarmos a mudar as nossas crenças em relação ao que conseguimos e ao que não conseguimos fazer. E ao irmos conseguindo dar passos nesse sentido, tornamo-nos mais confiantes em nós e nas nossas capacidades, e vamos sentindo o stress a diminuir gradualmente à medida que vamos fazendo mais vezes algumas actividades que inicialmente nos criavam muita ansiedade.

Então vamos aceitar alguns desafios?
1. Faça alguma coisa que você nunca fez antes – Porque não aprender um novo idioma, aprender a tocar um instrumento musical, escrever um blog, entrar para um desporto de equipa.  
2. Esqueça a TV e as redes sociais por uma semana - Use o tempo pós-laboral para passear, aprender algo novo, combinar com alguém com quem já não está há algum tempo, ler um livro, conhecer um novo grupo musical.
3. Desenvolva a sua capacidade de iniciativa e proponha uma nova ideia – Dar uma opinião, fazer uma sugestão, partilhar o que pensamos sobre determinada questão. Por vezes em contexto laboral ou pessoal podemos ter alguma dificuldade ou receio de nos expormos, porque não tentar fazê-lo em ambientes mais seguros e ir avançando à medida que se sinta mais à vontade?
4. Saia da sua rotina até mesmo nos detalhes – Oiça nova música, passeie por zonas diferentes, experimente sentar-se numa cadeira que normalmente não se senta numa posição diferente, porque não fazer um workshop de culinária, dança ou fotografia?
5. Viaje e conheça novas pessoas – Viajar para cidades vizinhas, ou pelo mundo inteiro. Viajar é uma das melhores maneiras de sair da sua zona de conforto. Terá a oportunidade de conhecer novas pessoas, novas culturas, novos alimentos. Fale e perceba diferentes pontos de vistas, diferentes valores. É muito bom podermos sentir que aprendemos um pouco com cada pessoa com quem falamos.

Aceita o desafio?

Por decisão pessoal, a autora do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.


Sem comentários:

Publicar um comentário