quarta-feira, 22 de junho de 2016

Sinto-me grata/o a...

Gratidão é um sentimento de reconhecimento, é sentirmo-nos agradecidos a alguém ou a uma situação.

Como é quando se sente grato? Qual a sensação? Se estiver totalmente atento ao corpo quando se sente grato, quais são as sensações? E se se focar nessas sensações? Como se sente? E se ficar durante uns minutos com essas sensações e com esse sentimento de gratidão, como se sente? E como é voltar à sua tarefa após este exercício? Quer experimentar?
Todos nós nos queixamos por algo, porque não nos sentimos valorizados no trabalho, porque o colega nos aborreceu, porque há demasiado trânsito e nos faz chegar atrasados, porque os filhos não fazem o que deviam, porque os pais não param de dizer o que devemos fazer ... Queixamo-nos porque gostaríamos que as coisas por vezes fossem um pouco ou muito diferentes, certo? Mas, e se procurarmos pensar também ao contrário? Quais são as coisas que eu tenho que valorizo? Quais são as coisas mais importantes na minha vida? A que é que me sinto grato? A gratidão é um presente que podemos oferecer a nós próprios quando reconhecemos as nossas riquezas. A gratidão permite sentirmo-nos cheios quando parece que não temos nada. Também nos dá paz quando somos capazes de ver quem faz parte das nossas vidas, apesar de pensarmos que estamos sozinhos. A gratidão muda a vida quando nos damos a oportunidade de ver quem temos e o que temos na nossa vida.

Quando nos envolvemos com os pensamentos negativos sobre os temas que nos fazem queixar da vida, sentimo-nos frustrados e temos a sensação que não temos controlo na nossa vida. Mas se efectivamente não podemos mudar as coisas que não nos agradam, viver envolvidos nesses pensamentos e sensações desagradáveis, faz-nos viver centrados na parte menos positiva da nossa vida... Mas então e as coisas boas? Faz sentido desvalorizarmos as coisas boas que temos na vida? A olharmos para a parte positiva da vida, passamos a tomar mais consciência do que temos e isso ajuda a mudar o foco atencional.

Ao pensar naquelas pessoas que parecem estar sempre felizes e bem-dispostas, acha mesmo que essas pessoas não têm problemas? Tente perceber onde essas pessoas focam a sua atenção, acha que valorizam as coisas boas que têm ou as coisas menos boas?

Vamos experimentar agradecer pelo que temos? Por exemplo, se temos um trabalho que não é exactamente o que gostaríamos, podemo-nos sentir gratos por tê-lo e não estar desempregado. Podemos procurar uma alternativa melhor para nos sentirmos mais concretizados e felizes, no entanto há a parte positiva do que temos agora, e é essa a parte importante a procurar.

A nossa vida está cheia de relacionamentos, momentos e situações que nem sempre são agradáveis. Há pessoas que nos magoam, relacionamentos que terminam, situações que nos criam mal-estar, tristeza e ansiedade. Às vezes temos que nos afastar das pessoas tóxicas para termos uma boa vida e saúde mental. E se em vez de ficarmos irritados, agradecermos pelo tempo que essas pessoas nos acompanharam e pelo que elas nos ensinaram? Mesmo as pessoas que nos magoaram muito, essa situação permitiu-nos desenvolver recursos internos para lidar com a dor e com o sofrimento. Gostaríamos que as coisas tivessem sido diferentes? É possível. Mas na verdade crescemos, evoluímos e desenvolvemo-nos como pessoas ao ter passado por essa situação. Não podemos voltar atrás para não ter vivido essa mágoa, então que tal tentarmos retirar a aprendizagem dessa situação e sentirmo-nos gratos por essa aprendizagem? Sem dúvida, é algo muito enriquecedor. Quanto mais capazes formos de nos sentirmos gratos, melhor fechamos as feridas, perdoamos e esquecemos.

Não podemos agradecer apenas pelas coisas boas e esperar que as más desapareçam. É importante também pensar nas experiências e nas pessoas negativas como um caminho para melhorar. Quer as coisas boas, como as más oferecem motivos, conhecimentos e razões para continuarmos a demonstrar gratidão, por tudo. Naturalmente, vai-nos chegar à cabeça num primeiro momento a dúvida: - Como é que vamos agradecer por aquilo que nos fez mal? É importante não esquecer que isso faz parte de viver e de crescer.

Viver num estado de gratidão é estar em harmonia com o que somos, de onde viemos, aceitando o nosso destino de crescimento constante. Saber agradecer é uma arte. As sensações que a gratidão nos dá, permitem-nos desenvolver um antídoto natural contra o pessimismo, a tristeza, o rancor, a mágoa, a raiva, a revolta.

O apreciar das coisas simples, o apreciar dos pequenos momentos de alegria e agradecer por tudo o que vivemos e que temos, faz-nos sentir felizes. Ser grato é uma capacidade que, uma vez adquirida, transforma o nosso olhar sobre o mundo, sobre a vida, sobre as pessoas e sobre cada acontecimento. A capacidade de manter o olhar voltado para o lado bom das coisas e sentirmo-nos gratos por termos isso, vai-nos levar lentamente a uma mudança.

Em cada amanhecer temos a oportunidade de viver um lindo dia, uma nova vida, uma diferente forma de sentir o que vem aí. Vamo-nos dar a essa nova oportunidade? Vamos começar a praticar a gratidão?

Por decisão pessoal, a autora do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.

Sem comentários:

Publicar um comentário