domingo, 4 de fevereiro de 2018

“Pára-me de Repente o Pensamento” – um Olhar da Psicologia




“Pára-me de Repente o Pensamento” é o título de um documentário que retrata as particularidades e o quotidiano vivido num dos hospitais psiquiátricos mais antigos de Portugal, o Centro Hospitalar Conde de Ferreira no Porto.
O título do documentário é também o título de um poema do pintor Ângelo de Lima que fez parte da revista Orpheu e que foi também paciente esquizofrénico deste mesmo Hospital. Miguel Borges é um ator que vem do mundo exterior para construir o seu personagem, mergulhando no mundo interior das pessoas que estão naquele hospital.
Enquanto espectadores, este é um documentário capaz de nos tocar profundamente e  levantar um conjunto de questões sobre a condição humana, despertando em nós reacções emocionais tão diferentes que podem ir do riso ao “nó na garganta”.
A possibilidade que temos em escutar estas pessoas e em compreender as suas histórias de vida, pensamentos, medos, alegrias e esperanças, permite-nos ter um olhar mais próximo delas, bem como a noção da dimensão da sua humanidade, dignidade e sabedoria. Sabedoria essa que vai muito além daquilo que os livros ensinam mas que se funda primordialmente em experiências de vida de um valor inestimável.
 A fragilidade e a força que delas emana a par da generosidade das suas partilhas, sem carapaças e armaduras às quais estamos tão habituados, são ao mesmo tempo desarmantes e comoventes.
Curioso é pensar, como a dificuldade que muitas vezes temos em olhar para estas pessoas se prende com a nossa própria dificuldade em contactar com a nossa fragilidade, vazio e medo do abismo e como muitas vezes, à semelhança do título do documentário, desejaríamos que a mente nos desse tréguas e parásse por um instante.

Sem comentários:

Publicar um comentário