domingo, 1 de outubro de 2017

A Terapia Assistida por Animais


Hoje, 4 de Outubro, celebra-se o Dia Mundial do Animal. Para muitas pessoas e famílias o seu animal de estimação assume um papel central e fundamental nas suas vidas, sendo portanto este o dia para lhes prestar a devida homenagem.
A investigação sobre os benefícios da relação entre o animal e o homem intensificaram-se ao longo dos tempos, sendo atualmente a Terapia Assistida por Animais um recurso cada vez mais utilizado para promover a melhoria de estados físicos e psíquicos em todas as idades.
Um dos animais mais utilizados em Intervenções Assistidas por Animais é o cão. A sua presença durante a sessão de terapia constitui-se como um estímulo mutisensorial, procurando-se através deste meio tornar as pessoas mais cooperantes e motivadas e que a médio prazo, possa ocorrer a  generalização dos comportamentos gerados nas sessões à vida quotidiana.
Diversos estudos indicam a existência de benefícios desta relação, sendo que a presença do animal fomenta a expressão de emoções, a capacidade de comunicação e de interação social, o aumento da concentração, memória e atenção, a diminuição da ansiedade e tensão arterial, o aumento do nível de endorfinas, a estimulação tátil e o alívio de sentimentos de medo, solidão e isolamento.
A Terapia Assistida por Animais é uma intervenção orientado por objetivos, onde um animal, que reúne determinados critérios específicos, é parte integrante do processo terapêutico. Este processo deverá ser dirigido e avaliado por profissionais de saúde, com conhecimentos especializados no âmbito da intervenção assistida por animais, onde o próprio define os objetivos e metodologias de avaliação, enquanto também desempenha a função de guia do animal.
Os objetivos desta terapia podem visar o desenvolvimento psicomotor e sensorial, nomeadamente habilidades motoras finas e o equilíbrio, bem como melhorar a capacidade de socialização no que respeita às interações verbais e sociais do sujeito, estimular as funções cognitivas (memória, atenção concentração, linguagem, pensamento) aumentar a auto-estima, reduzir a ansiedade e melhorar a gestão emocional.
A Terapia Assistida por Animais pode ser indicada em diferentes áreas nomeadamente em crianças com necessidades educativas especiais. Segundo os especialistas, crianças com dislexia, perturbação do espetro do autismo, transtorno de défice de atenção com hiperatividade, paralisia cerebral, trissomia 21 podem experimentar diminuição da pressão arterial e  ganhos cognitivos e de comunicação, quando têm a possibilidade de participar em programas de terapia estabelecendo contacto com cães e outros animais. Outras crianças com problemas de aprendizagem poderão retirar igualmente benefícios. Na presença dos animais, está comprovada a diminuição dos níveis de stress pela redução do cortisol ( hormona associada ao stress ), aumento da endorfina e oxitocina ( associadas ao bem estar e à satisfação ) e  abrandamento do ritmo cardíaco e respiratório. Destaca-se igualmente a intervenção em pessoas com défice de visão e de audição, com quadros demenciais, doença e Alzheimer e de Parkinson e perturbações ansiosas e afetivas.
  Também muitos hospitais pediátricos nos Estados Unidos da América estão a recorrer a terapias com animais, incentivando as crianças portadoras de doenças graves a contactarem com cães e gatos e os resultados têm sido bastante positivos.
Como a terapia funciona como um agente motivador para o tratamento em diversas condições, qualquer paciente que apresente um quadro crónico físico ou psicológico pode beneficiar dela.


Sem comentários:

Publicar um comentário